Resenha "Um dia" de David Nicholls





"Viver cada dia como se fosse o último – esse era o conselho convencional, mas na verdade quem tinha energia para isso? E se talvez chovesse ou você estivesse de mau humor? Simplesmente não era prático. Era bem melhor tentar ser boa, corajosa, audaciosa e se esforçar para fazer a diferença. Não exatamente mudar o mundo, mas um pouquinho ao redor."


Dex e Em, Em e Dex - a história desses dois começa em 1988. Ela tira ótimas notas,inteligente, acaba de formar-se em inglês e história, é linda, mas não sabe. -autoconfiança nunca foi algo presente em sua personalidade mais introvertida. Seus planos para o futuro incluem transformar o mundo, mas não o mundo todo, porque ela é realista. Emma quer transformar o ambiente ao seu redor, de preferência por meio de palavras que ela um dia escreverá.
Já ele é praticamente seu oposto.
Dex só quer saber de farra, acaba de se formar em antropologia, é lindo e sabe disso. Aquela autoconfiança que carrega certa arrogância consigo sempre foi algo marcante em sua personalidade extrovertida. Ele ainda não sabe direito o que quer da vida, além de curtir muito a sua juventude com festas, mulheres e viagens.
"Um dia" narra a história desses dois personagens tão diferentes, tão reais e tão cativantes, que viveram durante quase duas décadas uma série de encontros e desencontros. Apaixonada por Dexter, Emma sempre esteve ali quando seu melhor amigo precisou - e ele sempre soube disso. Para Dexter, Emma era aquela pessoa com quem ele poderia contar sempre, para absolutamente qualquer coisa - e levando em conta a rapidez com que as pessoas chegavam e passavam na vida de Dexter, a amizade de Emma era uma das poucas coisas sólidas que ele teve na vida.
 
Mais uma vez é admirável a escrita de David Nicholls.
O livro é narrado num espaço de tempo enorme: quase duas décadas. A voz consiste na terceira pessoa, de modo que o foco altera-se entre os dois protagonistas: Emma e Dexter. Basicamente cada capítulo narra o dia 15 de julho de cada ano, um dia na vida dos personagens. A mágica do livro aconteceu para mim tanto na estrutura do texto quanto na própria narrativa de Nicholls: parece que cada personagem é responsável por seu próprio destino, no sentido de que a sensação é muito real. Não parece que há alguém criando uma história, e sim narrando algo que aconteceu com duas pessoas, Dex e Em, Em e Dex. São protagonistas tão humanos, com toda aquela subjetividade, com todo aquele leque de pensamentos bons e ruins, certos e errados, cada qual com seus defeitos e qualidades. É o tipo de história que eu sei que vou carregar comigo por aí, porque os personagens me envolveram tanto a esse ponto. Além disso, a protagonista Emma rendeu páginas e mais páginas de reflexão em meu diário - ela é o tipo de protagonista que te leva a pensar que nada na vida é garantido, o tipo de protagonista que faz você torcer até o final para que consiga tudo o que sempre desejou. Sem mais, é um livro que eu recomendo para qualquer um que busca uma leitura com o propósito de viver uma vida inteira, uma história de amor aos moldes mundo real, não conto de fadas.Mais para quem já viu o filme não tem surpresa alguma ler o livro,aconselho primeiramente a ler o livro,pois assim com certeza a emoção será bem maior e emocionante.Bato palma de pé para esta obra.
Aproveitando.. obrigada a todos que foram ontem no lançamento do meu livro!!! :)
 
Beijos e ótimo sábado!!!

Editora: Intrínseca
Páginas: 416
ISBN: 9788580570960
“- Dexter, eu te amo muito. Muito, muito, e provavelmente sempre amarei. – Os lábios dela encostaram no rosto dele. – Só que eu não gosto mais de você. Sinto muito.”

7 comentários:

Stephany Laura disse...

Muito boa a resenha paloma. parabéns! ;)
Nunca fui muito com a cara deste livro, mas depois da sua resenha vou rever. Beijos :)

http://stephanylaura.blogspot.com.br/

Thaís Damin disse...

Eu não consegui terminar esse. Li até a 120 e abandonei =/ Achei chato...

www.resenhasealgomais.com.br

Virgínia disse...

Eu sou apaixonada por esse livro. Dex não vale nada mas me apaixonei por ele mesmo com todos os defeitos possíveis, acho que isso fez dele muito humano.

Li o livro antes de assistir ao filme, mesmo sendo apaixonada pelo Jim e a Anne. E fazer isso valeu muito a pena, pelo menos para mim :)

Bela resenha, lindo blog :)

http://olivrodasemana.blogspot.com.br

O Livro de Hoje disse...

Olá como vai? Quando eu fechei a última página do livro, eu fiquei sem ação, quer dizer...fiquei em choque, e depois chorei horrores; Sério, que final ? Que,... nunca imaginava um final como este, mas livro é peeerfeito mesmo. E noossa, me fez pensar durante dias, e compartilhar a história com milhões de pessoas... esse livro com certeza me balançou em vários aspectos. hehe. Abraços

http://olivrodehoje.blogspot.com.br/

Val Medrado disse...

Quero ler esse livro! *__*
Adorei sua resenha!!!
http://valmedrado16.blogspot.com.br/
bjs

Isadora Beatriz disse...

Não entendo muito bem o porquê de não ter gostado desse livro :x

Bianca Batista disse...

Olá Paloma!
Um Dia é um livro inspirador, que abala as estruturas de qualquer um que seja, pelo menos um pouco, sentimentalista. Na sua resenha tem algo que não tinha pensado ainda, o fato de parecer que o livro está narrando uma vida real. Não tinha pensado por esse lado ainda, mas faz muito sentido.
Beijos, Bianca.
http://enlear.blogspot.com.br/

Postar um comentário